R. Andréa Paulinetti, 274 - São Paulo-SP 11 5183-5187 11 5183-5096 11 983975531



MEDIOCRIDADE NAO!

Gostou? compartilhe!

Veja nossos artigos

EDITORIAL

Queridos amigos e amigas

Passados os feriados natalinos e o periodo de descanso que teima em sempre ser mais curto que gostariamos, inicia-se este ano de 2002.

Neste ano passamos o reveillon em Campos do Jordao. Fazia um friozinho gostoso la, deu ate para acender a lareira. Pensei muito no calor da praia ou no abafado de minha querida Sao Paulo, e agradeci a Deus por poder estar respirando o limpido, puro, leve e frio ar da Serra da Mantiqueira. Como um rito de passagem, a Mada sugeriu que todos nos colocassemos numa folha de papel os habitos que queriamos largar, os pequenos ou grandes vicios que queriamos terminar, e as caracteristicas que nos incomodavam e que queriamos transformar. Todos nos, idosos, adultos, jovens e criancas tinhamos habitos que foram solenemente jogados no fogo da lareira, simbolicamente criando uma libertacao daquilo que nao mais nos convem

E logo surgiu uma segunda folha, onde cada um de nos colocou seus sonhos, metas e prioridades para 2002. Esta folha nao foi jogada ao fogo: antes, cada um guardou seus sonhos cuidadosamente com seus pertences pessoais, para servir de roteiro, de mapa e de bussola para o ano que estava se iniciando.

E e sobre estes planos que trata este Boog News. Boa leitura e um excelente ano a todos.

Muita luz e paz.

Gustavo Boog

ARTIGO

MEDIOCRIDADE? NAO!!!

Gustavo G. Boog

Como transformar nossos potenciais em realidade? Como transformar intencoes de realizacao em metas concretas? Como manter a motivacao ao longo do caminho? Estas perguntas ficam na cabeca de muitos de nos, e a realidade do dia-a-dia faz com que teimemos em nao utilizar plenamente nossas potencialidades, mantendo nossos objetivos apenas como sonhos. E isto vale para cada um de nos individualmente, para nossos grupos e organizacoes como um todo.

Nas empresas de alto padrao, os lideres buscam criar condicoes para que suas equipes usem plenamente seus potenciais, muitas vezes escondidos e sub-utilizados, estimulando-os a usarem mais aquilo que tem dentro de si (este processo as vezes falha com alguns). Nas organizacoes doentes, os chefes (que nao estao agindo como lideres) estao sempre buscando formas para diminuir ou mesmo destruir potenciais, para que nao tenham espaco de manifestacao, pois isto poderia ameacar os edificios de poder construidos com tanto sacrificio. E assim se mantem os feudos e se perpetua a mediocridade.

Utilizar plenamente nossos potenciais e a chave para a sobrevivencia pessoal e profissional nesta epoca de tantas transicoes. Apenas quando acessamos nossos potenciais temos a flexibilidade de mudar e transformar. Pessoas e equipes com acesso ao potencial pleno sao o recurso empresarial mais poderoso para sobreviver e crescer num mercado cada mais competitivo.

Utilizar nossos potenciais esta ligado ao nosso poder pessoal e a realizacao de nossos propositos de vida. E interessante verificarmos que potencial esta ligado aos nomes potencia (vigor, forca, poderio, faculdade da alma, autoridade, pessoa muito importante, capacidade de realizar) e potentado (principe soberano de grande autoridade ou poder material, pessoa muito influente ou poderosa).

Quando, no inicio de cada ciclo definimos nossos sonhos, intencoes e metas e proferimos nossos compromissos solenes daquilo que queremos realizar, estamos nos conectando aos nossos potenciais. Quando fazemos esta ligacao, possibilitamos as nossas pessoas manifestar aquilo que sabemos que e bom para nos, o que nos fara felizes.

Mas

O tempo passa, as semanas vao se enfileirando, e estes compromissos com nossos potenciais vao sendo esquecidos, vao se esmaecendo e tendem a se tornar uma palida lembranca do que nos poderiamos ser. E nos somos campeoes em achar motivos e justificativas que expliquem porque abandonamos certas metas, porque desistimos de realizar algo ou porque fizemos as coisas num ritmo muito abaixo do que desejariamos. Sempre que deixamos de realizar nossos potenciais, ficamos com a amarga sensacao da impotencia ou da mediocridade. E a constatacao que ficamos no meio.

Como sair desta armadilha? Para concretizarmos nossos potenciais, precisamos de uma habilidade fundamental de nossa alma, a coragem.

Eu adoro os textos que Tom Heuerman, Ph.D. me envia regularmente (sugiro que visite o site dele www.amorenaturalway.com ). Tom escreve muito sobre lideranca, e cita Aristoteles: a coragem e a primeira das virtudes humanas, pois ela faz com as outras virtudes possam ser possiveis. Outra citacao (de Peter Koestenbaum): a coragem comeca com a decisao de enfrentar a verdade ultima de nossa existencia: nos vivemos livres para definirmos a nos mesmos a cada momento. Nos nos tornamos naquilo que escolhemos ser, do fundo de nossas almas.

Em nosso Boog News 51, do ano passado, colocamos como caracteristicas do ser corajoso: partir para a acao/ ter auto-controle/ saber quando parar/ contestar/ decidir/ ser determinado e nao abandonar/ tenacidade/ falar/ forca de vontade/ ter bom ritmo de trabalho/ saber estabelecer limites/ dizer nao/ comunicar-se/ falar/ persuadir/ sensatez/ concentrar-se e manter foco/ independencia. Creio que esta lista nos ajuda a identificar melhor o nosso perfil pessoal de coragem.

Devemos reconhecer que sermos corajosos e exercermos nossos potenciais com maior vigor e dificil. Muitos tem a tendencia de criar limitacoes que de fato nao existem a nao ser neles mesmos, e com isto reduzem suas metas e zeram a criatividade. Diz Tom que muitos escolhem a mediocridade em troca da ilusao da seguranca, vivendo marginalmente como robos e zumbis dentro das organizacoes. Citando Parker Palmer: as pessoas que encontram a coragem de parar de viver vidas divididas, o fizeram quando entenderam que nenhum terror ou punicao que outros possam aplicar pode ser pior que a punicao que eles aplicam a si mesmos ao conspirarem pela propria diminuicao de seus potenciais. A ansiedade e a liberdade vao juntas. Nos aceitamos o medo e o superamos se quisermos ser livres, se quisermos utilizar mais plenamente nossos potenciais.

Os lideres podem escolher criar organizacoes baseadas na coragem, que abracem as mudancas, honrem a diversidade e valorizem a responsabilidade e a prestacao de contas na busca de um futuro sustentavel. Os lideres podem tambem escolher viver no medo, permanecer mediocres, retirar-se defensivamente, exigir conformidade e recompensar a irresponsabilidade, a medida que eles aceitam isto como inevitavel

A opcao pelo potencial ao inves da mediocridade nao e garantia absoluta de resultados. Esta geralmente e uma escolha silenciosa e solitaria, quando nos sintonizamos na pequena voz interior que nos diz: va em frente, voce e capaz!. Ao escolhermos viver nossos potenciais teremos uma conta a pagar, teremos muitas pedras neste caminho, mas teremos o retorno de estarmos realmente vivos.



Gostou? compartilhe!

Whatsapp Boog Whatsapp Boog