+55 (11) 5183-5187 / 5183-5096

contato@boog.com.br

DESCORTINANDO O COACHING PELO
SELF-EMPOWERMENT

 Luiz Eduardo V Berni (*)

Coaching é uma técnica contemporânea que visa à realização de um acompanhamento individualizado, personalizado de pessoas para o desenvolvimento ou atualização, de suas potencialidades. Para entender seus fundamentos vou recorrer a uma metáfora: Quando alguém toma um táxi o motorista conduz o carro, mas quem indica o destino é o passageiro. Essa é a típica relação que se dá num processo de coaching. Coaching refere-se à técnica, enquanto o coach é o profissional que realiza o acompanhamento sendo o coachee aquele que se submete ao mesmo.

Na área esportiva o termo usado é Personal Training; na área comportamental Personal Coaching, e na área organizacional Coaching Organizacional e também Coaching Executivo. Nos ambientes empresarias a técnica está intimamente ligada ao desenvolvimento da liderança. O Coaching Organizacional relaciona-se com o desenvolvimento da função, portanto da liderança com os liderados, enquanto o Executivo enfoca mais carreira, portanto enfatiza mais a autoliderança.

Profissionais de diferentes formações podem atuar no mercado de coaching. É importante que se entenda que se trata  de uma profissão não regulamentada, cuja a formação se dá em cursos livres, que não são fiscalizados pelas autoridades governamentais, o que em nada os desabona, é claro.

Para se escolher um bom coach deve-se observar criteriosamente o background do profissional. No mercado os profissionais se apresentam de acordo com um posicionamento estratégico da oferta desses serviços. Os mais experientes irão oferecer normalmente “tradição”, enquanto os mais jovens “inovação”.

Evidentemente os processos de coaching variam entre si. Todavia, existem alguns elementos comuns dentro de uma estrutura de trabalho que é clássica em processos de desenvolvimento humano, ou de crescimento pessoal, com é o coaching. Assim, pode-se afirmar que, guardadas as devidas proporções os processos de Coaching têm três etapas: (a) Na primeira etapa se realiza um levantamento das necessidades ou da queixa do coachee. (b) A segunda etapa é dedicada à sondagem da realidade, onde se realiza um levantamento do perfil de competências do participante ou se faz um levantamento dos potenciais que podem ser atualizados; (c) A terceira e última etapa é dedicada ao estabelecimento de um Plano de Ação ou de um Programa de Mudanças Pessoais factível.

Em termos ocidentais, talvez uma das formas mais eficazes de se trabalhar o Coaching seja pelo empowerment. Este conceito surgiu nos anos 1980 e ainda é muito mal compreendido nas organizações. Empoderar – talvez seja a melhor tradução para o termo – significando conceder ou atribuir poder ao outro. Neste sentido, qualquer tipo de coaching, seja ele, pessoal, esportivo, organizacional pode levar ao empoderamento de modo que o coachee consiga acessar seus potenciais, seu poder pessoal e atualizá-lo. É neste sentido que trabalha a liderança servidora de James Hunter. Trata-se, pois de uma perspectiva que aponta antes de tudo para o self-empowerment, ou autoempoderamento, visto que a distinção vida pessoal x vida profissional é uma ilusão. Quanto mais as pessoas seguirem a máxima que estava escrita no templo de Apolo, em Delfos na Grécia – “Conhece-te a ti mesmo”, mais felizes e poderosas serão.

Self-Empowerment é uma metodologia de Personal Coaching basicamente realizada pela Internet. Uma proposta pautada pela Abordagem Centrada na Pessoa e pela Psicologia Transpessoal. Um processo em três etapas onde (a) realiza-se um levantamento biográfico para acessar as potencialidades; (b) os potenciais passíveis de atualização e os bloqueios são descortinados por meio do Jogo da Transformação; e (c) realiza-se um plano de ação calcado em dados da realidade. Trata-se do primeiro processo de coaching avaliado pelo Instituto de Psicologia da USP sendo qualificado como bem estruturado com relevantes contribuições para a sociedade.

De forma sintética poder-se-ia afirmar que o coaching ajuda a estabelecer congruência entre o pensamento e a ação evitando a dispersão, ou seja, ajuda o participante a estabelecer foco, a buscar realização de forma factível,  baseado em possibilidades reais. O que é fundamental é que as pessoas procurem ampliar seu grau de autoconhecimento, isso as fará mais competentes, mais tolerantes e compassivas capazes de respeitar a diversidade. Assim, escolha um processo coaching lhe seja mais adequado e invista em você mesmo. Isso certamente fará você mais feliz, pois você se tornará o verdadeiro(a) líder de seu caminho de vida!

 

(*)Luiz Eduardo V Berni é Doutor em Psicologia pela USP e criador do Self-Empowerment

www.self-empowerment.com.br

Ver Todos os Artigos

SOLICITE ATENDIMENTO


captcha